Bem-vindo, visitante! [ Registe-se | Entrar

Biografia Mauricio de Sousa

Uncategorized junho 21, 2016

Mauricio de Sousa (1935) é um cartunista e empresário brasileiro. Criou a “Turma da Mônica”, e vários outros personagens de história em quadrinhos. É membro da Academia Paulista de Letras, ocupando a cadeira nº 24. É o mais famoso e premiado autor brasileiro de história em quadrinhos.

Mauricio de Sousa (1935) nasceu em Santa Isabel, São Paulo, no dia 27 de outubro de 1935. Filho do poeta Antônio Mauricio de Souza e da poetisa Petronilha Araújo de Souza. Passou parte de sua infância em Mogi das Cruzes, desenhando e rabiscando nos cadernos escolares. Mais tarde passou a ilustrar pôsteres e cartazes para os comerciantes da região. Aos 19 anos mudou-se para São Paulo, onde trabalhou, durante cinco anos, no jornal Folha da Manhã, escrevendo reportagens policiais e fazendo ilustrações.

Biografia Mauricio de SousaEm 1959, quando ainda trabalhava como repórter policial, criou seu primeiro personagem – o cãozinho “Bidu”. A partir de uma série de tiras em quadrinhos com “Bidu e Franjinha”, publicadas semanalmente na Folha da Manhã, Mauricio de Sousa iniciou sua carreira. Nos anos seguintes criou diversos personagens – “Cebolinha”, “Piteco”, “Chico Bento”, “Penadinho”, “Horácio”, “Raposão”, “Astronauta” etc. Em 1970, lançou a revista da “Mônica”, com tiragem de 200 mil exemplares, pela Editora Abril.

Em 1986, Mauricio saiu da Editora Abril e levou seus personagens para a Editora Globo. Em 1998, recebeu do então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, a medalha dos Direitos Humanos. Em 2006 saiu da Editora Globo e ingressou na Editora Panini, uma multinacional italiana.

Em 2007, Mônica foi homenageada “Embaixadora do UNICEF”. Pela primeira vez um personagem de histórias infantis recebe esse título. Na mesma cerimônia, Mauricio de Sousa foi homenageado “Escritor para Crianças do UNICEF”. Em 2008 o Ministério do Turismo nomeou Mônica “Embaixadora do Turismo Brasileiro”.

A publicação da “Turma da Mônica Jovem”, uma linha de personagens com 15 anos de idade, vendeu em 2008, mais de um milhão e meio de exemplares, dos quatro primeiros números da revista. Nas comemorações do centenário da Imigração Japonesa para o Brasil, Maurício criou os personagens “Tikara” e “Keika”, que foram incorporados às histórias da Turma da Mônica.

Hoje entre quadrinhos e tiras de jornais, suas criações chegam a cerca de 50 países. O autor já chegou a 1 bilhão de revistas publicadas. Os quadrinhos se juntam a livros ilustrados, revistas de atividades, álbum de figurinhas, CDs, livros tridimensionais e livros em braile.

Mais de 100 indústrias nacionais e internacionais são licenciadas para produzir quase 2.500 itens com os personagens de Mauricio de Sousa, entre jogos, brinquedos, roupas, calçados, decoração, papelaria, material escolar, alimentação, vídeos e DVDs, revistas e livros. Em 2013, a “Turma da Mônica” comemorou seus 50 anos.

Prêmios – Títulos – Homenagens

Prêmio Gran Guinigi, pela revista Mônica (Itália, 1971)
Troféu Yellow Kid, o Oscar dos Quadrinhos Mundiais (Itália, 1971)
Prêmio de Literatura Infantil da ABL (Brasil, 1999)
Doutor Honoris Causa da Universidade La Roche (Pittsburgh, 2001)
Medalha do Vaticano (Washington, DC, 2004)
Homenagem da Escola de Samba Unidos do Peruche (São Paulo, 2007)
Medalha de Vermeil (França, 2008)
Prêmio Pulcinella, pelo conjunto da obra (Itália, 2011)

Personagens de Mauricio de Sousa

Turma do Bidu
Turma da Mônica
Turma do Chico Bento
Turma da Tina
Turma do Penadinho
Turma do Peteleco
Horácio
Astronauta
Turma da Mata
Papa Capim
Nico Demo
Turma do Pelezinho
Turma do Dieguito
Ronaldinho Gaucho
Turma da Mônica Jovem
Turma do Cebola Jovem

Leia também sobre a Turma da Mônica

1529 total de visualizações, 1 hoje

Turma da Mônica

Uncategorized junho 18, 2016

Turma da Mônica é uma série de histórias em quadrinhos criada pelo cartunista e empresário Mauricio de Sousa. A série foi originada em 1959 em uma série de tirinhas de jornal, na qual os personagens principais eram Bidu e Franjinha. A partir dos anos 1960, a série começou a ganhar a identidade atual com a criação de Mônica e Cebolinha, entre 1960 e 1963, que passaram a ser os protagonistas.

turma da mônica

Embora a maior parte das histórias girem em torno das aventuras de Mônica, Cebolinha e seus amigos do bairro do Limoeiro, o termo do título se refere também às demais famílias de personagens criados por Mauricio de Sousa, derivadas de outras séries, como Turma do Chico Bento, Turma da Tina, Turma da Mata, Turma do Penadinho, entre outros. Desde 1970, na forma de revista em quadrinhos, os personagens já foram publicada por editoras como a Abril (1970-1986), a Globo (1987-2006)[2] e Panini Comics (2007 até a atualidade), somando quase 2.000 revistas já publicadas para cada personagem[. Além disso, também segue com publicação especial de tiras no formato de bolso pela própria Paninie pela L&PM.

 

Em 2008 foi criado um spin-off baseado no estilo dos quadrinhos japoneses intitulado Turma da Mônica Jovem, com os personagens adolescentes.Em 2015, a linha passou por uma reformulação, a Panini reiniciou a numeração das revistas e passou a creditar autores em algumas histórias (algo que acontecia apenas em publicações especiais), além disso, cada edição passou a trazer um QR Code que permite a acesso a conteúdos exclusivos em plataformas virtuais.

A turma da Mônica tem gibis e outros produtos licenciados em 40 países e com 14 idiomas, sendo que a marca foi expandida para outras mídias ao longo dos anos, em produtos como livros, brinquedos, discos, CD-ROMs, jogos eletrônicos, entre outros.

 

História da Turma da Mônica

Criação

Maurício de Sousa, analista do jornal Folha da Manhã criou e, ingressou na área dos quadrinhos no ano de 1959[com seus primeiros personagens, Bidu e Franjinha. . Ambos foram baseados na própria infância de Mauricio, sendo Bidu inspirado no seu cãozinho de estimação, CuícaNo ano seguinte, os personagens ganharam espaço através da revista infantil Zaz Traz, pela Editora Outubro. Posteriormente um gibi intitulado “Bidu” foi lançado pela Editora Continental, sendo cancelado no mesmo ano.Ainda naquele tempo novos personagens foram criados, entre eles o que mais chamou atenção foi Cebolinha como coadjuvante de Franjinha.

 

Os personagens seguiram nas tirinhas de jornal, onde foram desenvolvendo suas personalidades. Cebolinha passou a ser o personagem principal substituindo o Bidu, e mais personagens foram se destacando e ganhando séries próprias, como Piteco, Astronauta, Horácio, Penadinho, Zezinho e Hiroshi (atualmente do universo da Turma do Chico Bento), Raposão (atualmente do universo da Turma da Mata). No entanto, mesmo com todos esses personagens, Mauricio recebeu queixas sobre a falta de mulheres em seus quadrinhos,[ assim Mônica foi criada em 1963, como uma personagem secundária nas tirinhas do Cebolinha. Baseada na sua filha real Mônica Sousa, o sucesso e o carisma da personagem fizeram dela a protagonista das tirinhas, tornando Cebolinha seu coadjuvante no final da década de 1960.

Revista em quadrinhos

Mauricio ganhou novamente uma revista para suas criações em 1970, pela editora Abril. A princípio com o título de

Capa da primeira revista Turma da Mônica com o título antigo publicada pela Editora Abril

Capa da primeira revista com o título antigo publicada pela Editora Abril

“Mônica e Sua Turma”, vários dos personagens já criados por Mauricio nas tirinhas de jornal passaram a aparecer nas revistas, formando a hoje chamada Turma da Mônica. Competindo com quadrinhos estrangeiros como Pato Donald, Zé Carioca e Luluzinha, seus quadrinhos permaneceram firmes nas bancas e ganharam um segundo título, Cebolinha, em 1973. Um contrato com o jogador Pelé permitiu o lançamento de um personagem baseado nele mesmo. O Pelezinho, lançado em 1977, foi fenômeno entre as crianças na época, entrando para a história nos quadrinhos nacionais.

Os Estúdios Mauricio de Sousa surgiram a partir da necessidade da criação de uma equipe de roteiristas para bancar a produção mensal de histórias completas para as revistas e tiras de jornal, deixando de concentrar a produção nas mãos de Mauricio. Novos projetos puderam então ser conduzidos, como os desenhos animados, licenciamento de personagens e venda de quadrinhos para o exterior.

Expansão

Ao longo dos anos, outros personagens ganharam suas próprias revistas, como Cascão (1982), Chico Bento (1987) e Magali (1989). Ao longo do tempo, a marca Turma da Mônica tem sido usada para vender diversos produtos, de produtos de higiene a petiscos para animais, passando por produtos alimentícios. O caso de maior sucesso é o do extrato de tomate da Cica Elefante, com o Jotalhão. Outras mídias se fortaleceram ao longo dos anos e vieram produtos como livros, brinquedos, discos, CD-ROMs, jogos eletrônicos, entre outros. Nos anos 1970 e 1980, a propaganda de televisão desse extrato de Tomate, protagonizada por Mônica e Jotalhão ficou muito famosa, especialmente pelo tema musical: “Ô Mônica, abrace o elefante…”[14] Sua repercussão ajudou os estúdios a investirem em animação e licenciamento de personagens, tornando a Turma da Mônica uma potência de entretenimento genuinamente brasileira. Em 2015, a Turma da Mônica era usada por quase 3 mil produtos de mais de 150 empresas. Em 2008, uma segunda linha de quadrinhos foi iniciada a partir de Turma da Mônica Jovem, uma publicação direcionada ao público pré-adolescente estrelada por uma versão mais velha dos personagens.

 

A turma da Mônica tem gibis e outros produtos licenciados em 40 países e com 14 idiomas. Algumas revistas de personagens são publicadas em outros países desde os anos 1980, Monica’s Gang ou Monica and Friends em países de língua inglesa, Fratz & Freunde na Alemanha, La banda di Monica na Itália, Monika dan kawan kawan na Indonésia, Mónica y su Pandilla ou Mónica y sus Amigos nos países de língua espanhola, entre outros.

Personagens

A série Turma da Mônica tem uma extensa quantidade de personagens principais e secundários. Tem como principais protagonistas Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento (derivado da Turma do Chico Bento), sendo que cada um tem a sua própria revista em quadrinhos. Outros personagens de outras séries criadas por Mauricio de Sousa também estão incluídos na Turma da Mônica, fazendo cruzamentos ou citações um sobre outro em várias histórias, entre vários outros personagens. O principal cenário das histórias é o bairro fictício de “Limoeiro”, no município de São Paulo.

Principais personagens

Outros trabalhos relacionados que se relacionam com as séries são:

  • Bidu – é um cão azul, inspirado em um schnauzer azul e foi o primeiro personagem de Maurício de Sousa, publicado em uma tira de jornal na Folha de S. Paulo em 1959;
  • Turma do Chico Bento – foca da vida diária de Chico Bento, um garoto caipira preguiçoso e seus amigos que vivem em uma fazenda no interior do Brasil. É o que mais frequentemente aparece em contato com a Turma da Mônica. Como Turma da Mônica recebeu uma história em quadrinhos spin-off de estilo mangá lançada em 2013 chamada Chico Bento Moço.
  • Turma do Penadinho – concentra-se em histórias de comédia envolvendo monstros de filmes de terror (fantasmas, vampiros, lobisomens, Frankenstein e até mesmo a morte) em um cemitério.
  • Turma da Tina – Mostra uma rotina diária de um grupo de adolescentes e suas vidas diárias como namoro, faculdade, entre outras questões. Em 2014, recebeu sua própria série de quadrinhos spin-off.
  • Turma do Astronauta – concentra-se nas aventuras em quadrinhos centrada na vida do personagem Astronauta no espaço sideral.
  • Turma da Mata – concentra-se nas vidas diárias de um grupo de animais antropomórficos de diferentes espécies em uma floresta liderados por um rei leão.
  • Turma do Piteco – concentra-se em todos os dias Piteco, um inventor homem das cavernas que está vivendo no meio da pré-história com dinossauros.
  • Turma do Horácio – enfoca a vida de um jovem dinossauro filósofo Horácio e seus amigos dinossauros.
  • Turma do Papa-Capim – concentra-se na vida cotidiana de Papa-Capim, um jovem nativo brasileiro que vive na Amazônia sob constante ameaça de homens brancos.

 

A maioria das histórias se concentra na vida cotidiana dos personagens principais e, ocasionalmente, sobre os personagens secundários; o estilo humorístico da série normalmente é caracterizado por vários tipos de repetições, alusões, apelos ao nonsense, paranomásias, sarcasmo e metalinguagem. As histórias com Mônica e Cebolinha giram em torno do eterno conflito entre os dois. Cebolinha é um causador de problemas e valentão que sempre tenta repreender Mônica ou roubar seu coelhinho de pelúcia para dar nós em suas orelhas (geralmente tendo Cascão ou outro cúmplice menino), sendo que Mônica sempre se vinga ao bater neles com seu coelhinho de pelúcia, muitas vezes deixando machucado e com olhos negros. Muitas vezes, Cebolinha faz planos contra ela com várias armadilhas, às vezes usando invenções, mas sempre perde para Mônica no final.

 

As histórias sobre Cascão geralmente se concentram em sua propensão para a sujeira e bagunça e seu medo de água, sem nunca ter tomado um banho na vid, e sendo constantemente ameaçada por vilões ou seus amigos para tomar uma ducha. As histórias com Magali geralmente se concentram em sua gula, com uma capacidade sobre-humana para comer, sem nunca engordar e às vezes roubando comida de seus amigos.

Publicações

A Turma da Mônica e seus trabalhos relacionados são liberados em um número de diferentes livros. Em primeiro lugar, eles foram publicados pela Editora Abril entre 1970 e 1986, em seguida pela Editora Globo de 1987 a 2006. A partir de 2007, a Panini Comics foi escolhida para manter as publicações. Até agora há livros em quadrinhos estrelados por muitos personagens, entre os mais conhecidos e vendidos são os personagens de Monica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento, além de almanaques com republicação de histórias clássicas com personagens diferentes. Em 2015 foi lançado um aplicativo para smartphones que recolhem mais de 500 edições da franquia para download.

Televisão e Cinema

Os personagens da Turma da Mônica também são os protagonistas de que pode ser considerado a primeiro da série

Filme A Princesa e o Robô

Filme A Princesa e o Robô

de animação brasileira. Depois de ser apresentada na televisão a partir de meados da década de 1960, as histórias completas começaram a ser produzidas em 1976 e distribuídas através de compilações de filmes durante os anos 1980 e 1990 (inicialmente lançados em filmes e depois diretamente vídeo).

Atualmente, o desenho animado é exibido no Brasil pelo Cartoon Network e seus canais-irmãos Tooncast e Boomerang. Em Portugal, os episódios do desenho animado já passaram pelos canais RTP 2 em 2008 e SIC K em 2015. A Rede Globo ainda veicula regularmente o desenho em seu sinal internacional – disponível em países da Europa, Ásia e África. As animações também receberam dublagem em inglês para distribuição internacional, sendo veiculadas na Itália e outros países da Europa. Entre as demais famílias de personagens de Mauricio Horácio, Penadinho, Astronauta, Tina e Turma da Mônica Jovem  também já estrelaram versões animadas.

Música

A Turma da Mônica também esteve na capa de diversos LPs e CDs, com músicas-tema e outras canções infantis surgidas de seus desenhos animados, propagandas e peças de teatro: A Bandinha da Turma da Mônica (Fermata – 1971); A Bandinha da Turma da Mônica [Compacto] (Fermata – 1972); A Turma da Mônica contra o Capitão Feio (Fermata – 1972); Mônica e Cebolinha – No Mundo de Romeu e Julieta (1978); O Natal da Turma da Mônica (RCA – 1979); Chico Bento – Festa no Arraial (Polygram – 1982); As Aventuras da Turma da Mônica (1984); Turma da Mônica (Globo Discos/Som Livre (SIGLA) – 1987); Turma da Mônica (Continental/Warner Music Brasil – 1994); Brincar com o Movimento ( Continental/Warner Music Brasil – 1996); Os Bichos São Nossos Amigos Animais (1998); A Turma da Mônica e Mauricio Contam e Cantam o Descobrimento do Brasil (2000); Animais (2004); É Preciso se Cuidar (2004); Aluno Nota 10 (2004); Sorria (2004); Planeta Terra (2004); Hinos Brasileiros (2004); O Natal Chegou (2004); Vem Brincar (2004); Viajando com a Música (2004); Feliz Natal pra Todos (2007).

Videogames

Entre vários brinquedos relacionados aos personagens, jogos também figuram com destaque. Entre eles, foram lançados: Caça à Turma (1989); Super Memória (1993); Fazendo a Festa (1998); Sopão da Magali (2002); Quebra-Cabeça Educativo (2002); Lince Alfabeto (2003); Zoológico Animado (2005); Banco Imobiliário Turma da Mônica

Comparação entre os games Turma da Mônica na Terra dos Monstros e Wonder Boy in Monster World

Comparação entre os games Turma da Mônica na Terra dos Monstros e Wonder Boy in Monster World

(2008); Cara a Cara Turma da Mônica (2008); Detetive Turma da Mônica (2008); Jogo da Vida Turma da Mônica (2008); Super Massa Turma da Mônica (2008); Tapa Certo Turma da Mônica (2008); Sudoku Júnior (2008); Ludo e Sobe-e-Desce (2008); Dominó da Turma (2009); Jogo da Memória (2009); Quebra-Cabeças (2009); Quebra-Cabeça Turma da Mônica Jovem (2010); Bobeou, Dançou (2010); Gogo’s da Mônica (2011); Puzzle Mônica 50 Anos (2013).

Em 1991, a Tec Toy também foi responsável pelo lançamento de minigames estrelados por Mônica, Cebolinha e Chico Bento, vendidos em lojas de brinquedos. Nos anos 1990, a MSP lançou CD-ROMs que contavam histórias interativas com minigames. Foram três nessa linha: Mônica Dentuça (1995), Cebolinha e Floquinho (1996) e A Roça do Chico Bento (1998). Também foi lançado um editor de quadrinhos com os personagens, Quadrinhos Turma da Mônica (1996) e outros com passatempos e brincadeiras: Chico Bento em Um Dia na Roça (1997), PrintStudio Turma da Mônica (1997) e PassaTempo Turma da Mônica (1999).

Em setembro de 2010, durante uma coletiva sobre o videogame Zeebo, Mônica de Sousa, filha de Mauricio de Sousa, apresentou uma parceria com a Zeebo Brasil para lançar cerca de 8 jogos da Turma da Mônica para a plataforma. O primeiro título é “Turma da Mônica – Vamos Brincar Nº 1”, lançado em dezembro de 2010.[23] Desde 2012, com o lançamento da divisão de jogos digitais dos Estúdios Mauricio de Sousa, aplicativos de games e quadrinhos são produzidos diretamente para dispositivos iOs e Android: Quero ser Turma da Mônica (2012); Coelhadas da Mônica (2013); Jogo do Cascão (2014); Fábrica de Tirinhas (2014); Mônica Tap Toy (2014); Caixa de Quadrinhos (2015).

Um MMORPG infantil para redes sociais também foi lançado pela programadora Level Up, Turma do Chico Bento – o Jogo (2012). O serviço foi descontinuado em 2014.

Com a distribuidora Sega, a Tec Toy, fez uma versão brasileira dos videogames de Wonder Boy, adaptados para incluir os personagens da Turma da Mônica como protagonistas.

 

3614 total de visualizações, 0 hoje

A Bela Adormecida

Uncategorized junho 17, 2016

Assista e leia o resumo da história A Bela Adormecida essa fantástica história da Disney!!!

Assistir A Bela Adormecida

 

Resumo da história A Bela Adormecida

ERA UMA VEZ num reino distante, um rei e uma rainha que tiveram uma linda princesinha, a quem chamaram de Aurora.

Para celebrar o seu nascimento, todas as fadas foram convidadas para madrinhas. Cada uma das fadas, como prenda, concedeu à princesinha um dom especial. Todas excepto uma, a fada má, que não foi convidada.

 

A Bela Adormecida

Esta, sabendo que todas as outras fadas tinham sido convidadas para celebrar o nascimento da princesa Aurora, decidiu aparecer na mesma à festa e, em vez de lhe conceder um dom à pequena princesa, lançou-lhe uma maldição:

– Princesa Aurora, no dia em que fizeres 15 anos irás picar-te num fuso e morrerás!

Todos no castelo ficaram muito aflitos. Por sorte, havia uma fada boa que ainda não tinha concedido o seu desejo e, não podendo evitar que Aurora se viesse a picar num fuso, alterou o feitiço da fada má, de modo que a princesinha em vez de morrer, caísse num sono profundo. Este feitiço só poderia ser quebrado ao fim de cem anos, quando um príncipe que por lá passasse se apaixonasse pela princesa e a beijasse.

Mesmo assim, o rei mandou destruir imediatamente todos os fusos e rocas que existiam no reino, para impedir que a sua filha se picasse.

Os anos passaram e a vida continuou sem nenhuma agitação, tornando-se a maldição apenas uma má lembrança.

No dia do seu décimo quinto aniversário a princesa, que brincava no jardim, é estranhamente atraída para a floresta. Lá encontra uma casa abandonada e decide entrar…

Dentro da casa ela encontrou um objeto pontiagudo que não reconhecia.

– Que objeto tão estranho… que será?

Não resistindo à curiosidade pegou nele e acidentalmente picou-se! Imediatamente a princesinha cai num sono profundo.

A fada boa encontra a princesinha adormecida e leva-a para o castelo, deitando-a na sua cama real. A fada decide também adormecer todos os habitantes do castelo, num sono profundo durante cem anos.

Entretanto no reino corre a lenda de uma bela princesa adormecida…

Um belo dia, um jovem e corajoso príncipe consegue atravessar a densa floresta que envolvia o castelo e encontra todos os seus habitantes adormecidos. Sabendo da lenda, dirige-se ao quarto da princesa e descobre a jovem mais bela que alguma vez vira, e não resiste a beijá-la.

Nesse momento, a princesa acorda, assim como todos os seus habitantes. A vida tinha voltado ao castelo!

Nesse mesmo dia celebrou-se o casamento entre a bela princesa Aurora e o corajoso príncipe, que viveram felizes para sempre.
Fonte do texto:http://bebeatual.com/historias-bela-adormecida_59

1161 total de visualizações, 0 hoje

Capa de Livro Infantil Atraente

Uncategorized junho 16, 2016

Tenho lido muito artigo sobre quais os elementos necessários para produzir uma capa atraente no mercado atual.
A capa de livro, digital ou não tem que ter atrativos aquém de sua simples diagramação. O mundo da embalagem pode mostrar alguns requisitos interessantes muito atual e que, comprovadamente melhoram resultados das vendas na ponta da cadeia.

 

O uso de imagem em capa de livro

As imagens tem muita força visual e se forem contundentes e conseguirem resumir, atrair o leitor para o conteúdo, sem dúvida, terão cumprido o seu papel. Basta ver como exemplo do recurso nas embalagens, biscoitos que trazem em suas embalagens, imagens cotidianas vendem muito mais que aqueles que usam somente tipologia em seus layouts. Será que o quesito não serve para nós, produtores de capas de livro?

capa delivro

 

Observem que a imagem é contundente e não deixa dúvidas do conteúdo do livro.

 

As cores em capa de livro

É interessante destacar que as cores devem buscar o leitor para que se atenham ao constaste; para conseguir tal objetivo, os produtores tem que saber analisar seus layouts como um todo e utilizando do recurso visual que a vista humana sempre busca cores complementares para seu descanso inconsciente. Os diretores de arte publicitários usam o recurso como ninguém.

círculo cromático para capa de livro

Para termos um bom conhecimento do uso das cores é necessário o entendimento do círculo cromático das cores, da forma com que elas se correspondem. Quando queremos lançar o uso de cores contrastantes utilizamos as cores que aparecem em lados opostos do círculo como conhecidas complementares, quando queremos lançar mão de cores análogas usamos cores próximas na estrela, azul claro sua complementar é o vermelho; laranja e vermelho são cores análogas, pois estão próximas no círculo.

capa de livro

 

A tipografia da Capa de Livro

Esse elemento também é fundamental na hora de tornar qualquer produto visual atrativo. Conhecer a estrutura dos caracteres que compõe uma fonte e sua real capacidade de abstração, tanto a distância como de perto fundamentam a escolha do tipo de letra para o sucesso de uma capa. O tema é extenso que trataremos em outra oportunidade.

 

Escrito por :

ANTONIO CELSO COLLARO –  collaroa@gmail.com 

Consultor e produtor gráfico,
jurado do Prêmio Jaboti do quesito
Capas em vários anos do evento

 

 

 

1350 total de visualizações, 0 hoje

Biografia Ruth Rocha

Uncategorized junho 10, 2016

Biografia Ruth Rocha

Ruth Rocha – Seu nome completo Ruth Machado Lousa Rocha (São Paulo, 2 de março de 1931) é uma escritora brasileira de livros infantis.

É membro da Academia Paulista de Letras desde 25 de outubro de 2007,ocupando a cadeira 38. Formou-se em sociologiapolítica e começou a trabalhar como orientadora educacional no Colégio Rio Branco.

Trabalhos de Ruth Rocha

Em 1967, Ruth Rocha começou a escrever artigos sobre educação para várias revistas. Escreveu artigos sobre educação na Revista Cláudia. Em 1976, publicou seu primeiro livro, Palavras Muitas Palavras.

Sua obra mais conhecida é Marcelo, Marmelo, Martelo, que já vendeu mais de um milhão de livros. Hoje, tem mais de 130 títulos publicados, com traduções de 25 idiomas.

Lançou livros no Parlamento Brasileiro e na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Em 2000 gravou para o Canal Futura a série “Quem Conta um Conto”. Esta série de animação reproduz o poema épico de Homero. Ruth Rocha comenta as viagens e aventuras de Odisseu após a tomada de Troia até seu regresso à Ítaca na Grécia Antiga.

Homenagens e prêmios

Em 1998 foi condecorada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura, além disso, ganhou outros prêmios. Em 2002 foi escolhida como membro do PEN CLUB – Associação Mundial de Escritores no Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, com o seu livro Escrever e Criar, recebeu o prêmio Jabuti.

Vida pessoal

Filha dos cariocas, Álvaro de Faria Machado(*? + 09.09.1991), médico, e Da. Esther de Sampaio Machado(*1906 +2002), tem quatro irmãos: Rilda, Álvaro, Eliana e Alexandre.

Principais obras infantis

  • Marcelo, Marmelo, Martelo
  • Ninguém gosta de mim
  • O Reizinho Mandão
  • Sapo ViraReiViraSapo,
  • Catapimba
  • Meus Lápis de Cor são só Meus
  • Meu Irmãozinho me Atrapalha
  • A Menina que não Era Maluquinha
  • O Menino que Quase Virou Cachorro
  • Borba, o Gato
  • Escolinha do Mar
  • Faz Muito Tempo
  • O Que os Olhos Não Vêm
  • Procurando Firme
  • Gabriela e a Titia
  • Pra Vencer Certas Pessoas
  • Historinhas Malcriadas
  • A Arca de Noé
  • As Coisas que a Gente Fala
  • Bom Dia, Todas as Cores!
  • Como se Fosse Dinheiro
  • Davi Ataca Outra Vez
  • Este Admirável Mundo Louco
  • Faca Sem Ponta Galinha Sem Pé
  • Romeu e Julieta
  • Lindas Crianças
  • O amigo do rei
  • O menino que aprendeu a ver

 

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ruth_Rocha

3985 total de visualizações, 0 hoje

Eva Furnari – Histórias e Ilustrações

Uncategorized fevereiro 9, 2016

Assista o documentário da Eva Furnari falando sobre Histórias e ilustrações.

Considerada uma das percursoras dos livros sem imagens no Brasil, criou dezenas de personagens e narrativas, em preto e branco ou colorido, que encantam não só as crianças.
Através de depoimentos de amigos, críticos literários e especialistas em literatura infantil, o documentário apresenta a obra da escritora e ilustradora Eva Furnari.

Documentário produzido em 2015 pelos alunos do curso e Jornalismo da Universidade Anhembi Morumbi:

Adriana Andreu
Amandha Rossette
Caroline Povoleri
Iule Karalkovas
Luiz Carlos Lima
Marcella Bertini

Orientação: Eliane Basso

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=hPx6D-fLqKg

Biografia de Eva Furnari

Eva FurnariSua família mudou-se para o Brasil em 1950, quando Eva tinha dois anos. Cresceu na nova pátria, formando-se em Arquitetura pela Universidade de São Paulo, e a partir de 1976 dedicou-se inicialmente a livros com ilustrações, sem texto.

Como autora infanto-juvenil e como ilustradora recebeu o Prêmio Jabuti, nos anos de 1986, 1991, 1993, 1995, 1998 e 2006.

Em 2004 foi escolhida para ilustrar a reedição de seis livros da obra infantil de Érico Veríssimo.

A obra de Furnari, composta essencialmente de pequenos livros, é uma das mais profícuas na Literatura infantil brasileira atual. Como a própria autora revelou, numa entrevista, a ilustração precedeu a produção literária – mas foi nesta última que veio efetivamente a se destacar.

Agora completando este ano 68 anos pretende não parar nunca de escrever.

Obras de Eva Furnari

Eva Furnari como autora e ilustradora

  • O segredo do violinista, Ática, São Paulo (ISBN 978-85-08-07097-8);
  • Coleção Peixe Vivo, Ática,1980:
    • Cabra-cega (ISBN 978-85-08-01478-1)
    • De vez em quando (ISBN 978-85-08-02827-6)
    • Esconde-esconde (ISBN 978-85-08-01486-6)
    • Todo dia (ISBN 978-85-08-02055-3)
  • Em 1982:
    • Bruxinha atrapalhada, Global (ISBN 8526003208)
    • O que é, o que é?, Paulus editora (ISBN 8534903026)
    • Traquinagens e estripulias, Global (ISBN 8526003062)
  • Oito a comer biscoito ou dez a comer pastéis, Quinteto Editorial (ISBN 8530500350)
  • Amendoim, Paulinas, 1983 (ISBN 8535605304)
  • Filó e Marieta, Paulinas, 1983 (ISBN 8535605282)
  • Zuza e Arquimedes, Paulinas, 1983 (ISBN 8535605290)
  • A Bruxinha e o Gregório, Ática, 1983 (ISBN 8508071736)
  • Violeta e Roxo, Quinteto editorial, 1984 (ISBN 8530500180)
  • Quer Brincar?, FTD, 1986 (ISBN 8532203914)
  • Bruxinha e Frederico, Global, 1988 (ISBN 8526007300)
  • A Bruxinha e o Godofredo, Global, 1988 (ISBN 8526004778)
  • Coleção As meninas, editora Formato, 1990:
  • Ritinha bonitinha (ISBN 8572080090)
  • A menina e o dragão (ISBN 8572080074)
  • Catarina e Josefina (ISBN 8572080015)
  • Assim assado, Moderna editora, 1991 (ISBN 8516039560)
  • Não confunda…, Moderna, 1991 (ISBN 8516031020)
  • Você troca?, Moderna, 1991 (ISBN 8516031004)
  • Trucks, Ática, 1991 (ISBN 8508040083)
  • O Problema do Clóvis, Global, 1992 (ISBN 8526006193)
  • Caça-fumaça, Paulinas, 1992 (ISBN 8573114738)
  • Por um fio, Paulinas, 1992 (ISBN 8573117885)
  • O amigo da Bruxinha, Moderna, 1994 (ISBN 8516030997)
  • A menina da árvore, Studio Nobel, 1994 (ISBN 8585445238)
  • Adivinhe se puder, Moderna, 1994 (ISBN 8516031039)
  • Travadinhas, Moderna, 1994 (ISBN 8516039579)
  • Bruxinha e as Maldades da Sorumbática, Ática, 1997 (ISBN 8508066414)
  • Cocô de passarinho, Cia das Letrinhas, 1998 (ISBN 8574060070)
  • Anjinho, Ática, 1998 (ISBN 8508094701)
  • Nós, Global, 1999 (ISBN 8526006215).
  • Coleção Piririca da Serra, editora Ática,:
    • A Bruxa Zelda e os 80 Docinhos, 1994 (ISBN 8508047282)
    • O Feitiço do Sapo, 1995 (ISBN 8508056583)
    • Mundrackz, 1996 (ISBN 8508061099)
    • Operação Risoto, 1999 (ISBN 8508073399).
  • Coleção Avesso da Gente, Moderna Editora, 2000:
    • Abaixo das canelas, (ISBN 8516025861)
    • Loló Barnabé (ISBN 8516025896)
    • Pandolfo Bereba (ISBN 851602590X)
    • Umbigo indiscreto (ISBN 8516025888)
  • De 2001:
    • Os problemas da família Gorgonzola, Global, (ISBN 8526006967)
    • Bililico (com Denize Carvalho), Formato (ISBN 8572083014)
    • Marilu, Martins Fontes (ISBN 8533614144)
  • Coleção Os bobos da corte, Moderna, 2002:
    • Dauzinho (ISBN 8516031632)
    • Rumboldo (ISBN 8516031624)
    • Tartufo (ISBN 851603139X)
  • Luas, Global, 2002 (ISBN 8526007289)
  • O circo da lua, Ática, 2003 (ISBN 8508083882)
  • Cacoete, Ática, 2005 (ISBN 8508097190)
  • O Feitiço do Sapo – Ática, 2006 (ISBN 8508056583);
  • Zig zag – Global, 2006 (ISBN 8526010948)
  • Felpo Filva – Moderna editora, 2006 (ISBN 851605182X)

Eva Furnari como ilustradora

  • Seu Rei mandou dizer, de Giselda Laporta Nicolelis – ilustradora (com Elenice Machado de Almeida), Moderna editora (ISBN 8516001199)
  • Dorotéia a Centopéia, de Ana Maria Machado – ilustradora, Salamandra.
  • Bento Que Bento e o Frade, de Ana Maria Machado- Ilustradora, Salamandra, (ISBN 8528100413)
  • Que Horta, de Tatiana Belinki – ilustradora, Paulus (ISBN 8534904626)
  • A mãe da menina e a menina da mãe, de Flávio de Souza) – ilustradora, FTD (ISBN 8532207960)
  • Ilustração da obra infantil de Érico Verissimo, Cia das Letrinhas:
    • O Urso com Música na Barriga, 2002 (ISBN 8574061573)
    • A Vida do Elefante Basílio, 2002 (ISBN 8574061565)
    • Os Três Porquinhos Pobres, 2003 (ISBN 8574061654)
    • Outra Vez os Três Porquinhos, 2003 (ISBN 8574061859)
    • Rosa Maria no Castelo Encantado, 2003 (ISBN 857406226X)
    • As Aventuras do Avião Vermelho, 2003 (ISBN 8574061646)

Outros:

  • Lambisgóia, de Edson Gabriel Garcia – Ilustradora, Nova Fronteira, 1984 (ISBN 8520907393)
  • A Menina das Bolinhas de Sabão, de Antônio Hohlfeldt – Ilustradora, FTD (ISBN 853220144X)
  • O Susto do Periquito, de Sônia Marta Junqueira – Ilustradora, Ática (ISBN 8508069529)

Fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Eva_Furnari

1317 total de visualizações, 0 hoje